segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Pulse!

               "Aos poucos"

...
               
Transcenda as barreiras do mundo sensível
Permita-se, numa eterna fração de segundo,
Transportar-se de si – ao mundo inteligível.
Fundir o ser ao conhecimento mais profundo

Respire a luz que agora rasga as tuas vestes
Abandone as suas personas - uma a uma -
Do mais ínfimo átomo aos corpos celestes
Faz-se causa e efeito - tudo e coisa nenhuma.

Desvencilhe-se das amarras do sentimento
Rasgue o manto da mimeses - o mundano -
Livre-se do amor, ódio, temor e sofrimento.
Livre-se deste mundo demasiado humano! 

...
                                                          (Rafael de Oliveira)

Um comentário:

  1. (...) “E esses homens, para os quais a vida não oferece repouso, experimentam às vezes, em seus raros momentos de felicidade, tanta força e tão indizível beleza, a espuma do instante de ventura emerge às vezes tão alta e deslumbradora sobre o mar da dor, que sua luz, espargindo radiância, vai atingir a outros com seu encantamento.” (O Lobo da Estepe - Hermann Hesse)

    ResponderExcluir