terça-feira, 14 de agosto de 2012

Admirável Mundo Novo

Na copa do mais alto carvalho
Onde todo o universo refletia
Em um pequeno globo reluzia
Estilhaços do mundo, gota de orvalho.
                    
O mar, aos olhos da Lua, adormecia.
Recompondo partículas mórbidas, frias.
De um inconsciente há muito esquecido

E na inquietude sólida, prostram-se, divinas
As odaliscas andróides do novo mundo.
- Carneiros sangrando corruptos valores -
Vomitando oferendas ao seu Cristo moribundo.
                                                (Por Rafael de Oliveira e Vitor Dias)
                                                    27 de setembro de 2010

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Pulse!

               "Aos poucos"

...
               
Transcenda as barreiras do mundo sensível
Permita-se, numa eterna fração de segundo,
Transportar-se de si – ao mundo inteligível.
Fundir o ser ao conhecimento mais profundo

Respire a luz que agora rasga as tuas vestes
Abandone as suas personas - uma a uma -
Do mais ínfimo átomo aos corpos celestes
Faz-se causa e efeito - tudo e coisa nenhuma.

Desvencilhe-se das amarras do sentimento
Rasgue o manto da mimeses - o mundano -
Livre-se do amor, ódio, temor e sofrimento.
Livre-se deste mundo demasiado humano! 

...
                                                          (Rafael de Oliveira)