terça-feira, 3 de julho de 2012

Da Religião

Embriagadas pelo entorpecente da ignorância
- As ovelhas - subjugadas pelo receio do inferno
Por medo de sua pequenez, corrupção e ganância
Rendem-se a qualquer promessa de amor eterno

Cada indivíduo, envolto em sua própria verdade
(Entendimento, ponto de vista... Apenas mentira)
Diante do mais ínfimo resquício de san(t)idade
Permite que seus demônios sucumbam à ira...

Perdidos em suas crenças – idiotia generalizada
Deixados para trás, abandonados na estrada...
Covardemente curvados pelo peso da cinta!

E enquanto gemem esses fiéis, entregues ao frio
Ofertando, incansáveis, mudas orações ao vazio
Surge um novo cordeiro sangrando tinta!
                                                                     (Rafael de Oliveira)

Um comentário:

  1. Porém em uma fuga o refúgio é bem vindo. Meu poeta :*

    ResponderExcluir