quinta-feira, 22 de março de 2012

Alegoria Imanente

No falso toque entre dois corpos amantes
Na vã sinceridade frente ao olhar do amigo
No arrastado caminhar dos poetas errantes
No amor e ódio do homem para consigo...

Nas flores que desabrocham sob o arrebol
No olhar vazio da derradeira despedida
Na comunhão de todos os mistérios, a vida
Revela-se reflexo da magnificência do Sol...

O universo, projeção paupável do inconsciente
Todas as cores e formas - vil ilusão imanete
- Quadro psicótico. Um brado à esquizofrenia!

Escrevo pra ninguém - sou o poeta e os leitores
Invento ruas, lares, bares, amigos e amores
Sou o inventor da vida e de toda sua alegoria...
                                                          (Rafael de Oliveira)

Um comentário:

  1. "Só dez por cento do que escrevo é mentira...
    o resto é invenção!" Manoel de Barros

    E que mais precisaria para ser um deus senão esse nosso vão ato de criar? Lêmo-nos um ao outro, todos nós poetas, artistas, pintores anônimos. Embriagamo-nos, de vinho ou de poesia. E assim fazemo-nos existir.

    ResponderExcluir