sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Olhos da Loucura

                             Olhos de menina

O frio na espinha, a mente vagueia
Sinto o prenúncio de um novo curto
A verdade. O inconsciente. O surto
Em face do real, a ilusão que norteia

Acorrentado a um estranho cativeiro
Escuro e denso - Mentira sem nexo -
- Todas as verdades - infinito reflexo
E a vida, apenas capricho do Coveiro" 

Os olhos da loucura me pesam os ombros
Já Não há luz. Apenas cinzas, escombros
Já não há bem ou mal... Diabo ou Deus...

Salva-me desta insana lucidez - Doutrina
Transporta-me do eterno poço - Neblina
Aos sóis suspensos... Aos olhos teus...
                                              (Rafael de Oliveira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário