segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O Peso da Cruz

Em certos momentos da minha triste sina
- Quando caminho lento, além mar, à deriva
Onde a noite se faz minha unica celula viva -

Perdido na curva. Subconsciente esquina...


É onde a tristeza toma para si minha razão
Deliciosa e maliciosamente, me seduz
Transfigura-se lentamente em uma cruz
Que muito me pesa neste deserto de ilusão.



É quando me isolo de toda forma humana
Na minha eterna busca, surreal e insana
Incomunicável, insisto... Até para mim



Naqueles dias vazios que passo na cama
Naquele instante em que meu pulso clama
Revelo em segredo - Também temo por mim...
                                              (Rafael de Oliveira)

Um comentário:

  1. Naqueles dias vazios que passo na cama
    Naquele instante em que meu pulso clama
    Revelo em segredo - Também temo por mim...

    PERFEITO!

    ResponderExcluir