quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Versos de Apatia

Indiferente aos dogmas e todo o sofismo
A natureza hedionda da raça humana
Revela intrínseco, o ardor do egoísmo
Sob a manta pudica da moral mundana
...
Horizonte inatingível, contemplo o nada...
- E a todos os que me cercam, perdão
Pois este ensaio é apenas a estrada
E todos os sentimentos, mera ilusão...
                                                 (Rafael de Oliveira)

Um comentário:

  1. Parabéns Rafa, estou lendo o blog aos poucos e adorando cada poema. Tomei a liberdade de publicar esse minha rede social, mas dei os devidos créditos =). Abraço, Juliana

    ResponderExcluir