sábado, 4 de setembro de 2010

Súplica

Por onde anda aquele que outrora era eu?
Aquele cuja vida fora concebida por mim
Será que ainda ninguém percebeu
Que separados estamos fadados ao fim?!

Por que persistem em escondê-lo?
Por que o ocultam em meus pensamentos?
Cansei de existir, desejo revivê-lo
Devolvam-me a vida e meus sentimentos...

Há muito não o vejo em meu reflexo
Será que me fora roubado em definitivo?
Já não suporto este frenesi complexo
De ter sempre a sensação de não estar vivo

Imploro a devolução da minha significância
Daquilo que fui e almejo que persista
O que me fora tomado por ignorância
Para que eu finalmente viva e não mais exista.
                                                   (Rafael de Oliveira)

3 comentários:

  1. Ooooooooooooowwwwwwwwwwwwwwwww!!!
    Digno Digno Digno Digno Digno Digno !!
    Invejo mais uma vez o poder de dizer o que sente.
    Quando sinto não sei dizer
    e quando digo, palavra mente.

    ResponderExcluir
  2. Agora eu sei a angústia que você passou. Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Todos estão em busca de um sentido para a vida: a procura do "leitmotiv"... Acredito que você já encontrou o seu.
    Novamente, parabéns. "Eu"

    ResponderExcluir