sábado, 4 de setembro de 2010

Retorno à Depressão

Retorno aos teus cuidados, doce amada
Após exílio venho me redimir.
Perdoa esta pobre alma desgraçada
Que num ato de ousadia pensou sorrir

Amo-a profunda e silenciosamente
Em segredo trago-a em meu peito
Infestado pela agonia de quem mente
Adoro-a, cultuo-a e a respeito

Subjugado, curvo-me diante de ti.
Se questionado sobre o meu amor
Eu submisso, prontamente nego

Revestido do sarcasmo de quem sorri
Disfarçarei divinamente meu clamor
Falseando ver, momentaneamente cego.
                                                (Rafael de Oliveira)

Um comentário:

  1. Vc é um "canalha"
    tira proveito da depressão
    idiota mesmo , sou eu
    que me deixo deitar no chão

    Te amo!

    ResponderExcluir