sábado, 4 de setembro de 2010

Poeta Reticente...

Não tenho a pretensão, nem deveria
De fazer distinção entre o bem e o mal
Não julgo os católicos, em sua heresia
Por jejuar posteriormente ao carnaval

Sem desacreditar a religião frente às ciências
Enxergo no ceticismo, a pura fé sobrenatural
Visto que sou eu, o poeta das reticências
Não me compete a nada dar um ponto final...
                                                    (Rafael de Oliveira)

Um comentário: